Avatar do blog

Crónicas da Mulher dum Bêbado

http://cronicasdamulherdumbebado.wordpress.com     Assine o Feed
Blog cadastrado em 06/01/2011 às 15:01

Algumas palavras rectas em linhas curvas... algumas palavras curvas em linhas rectas!...


Nada de Nada

Nada de Nada - Às vezes sinto que não pertenço a este mundo. - Então… - Sei lá… não me apetece fazer nada, não gosto das aulas, não gosto das matérias, não gosto dos professores, e até as gajas me parecem todas estúpidas… - É um nada… - Qualquer coisa assim&#823 [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Desabafo de uma Desempregada sem Fome

Caminhada - Bom dia vizinha! - Viva, bom dia… vai caminhar? - Vou… um quarto de hora, vinte minutos… - Como sempre… se não se importar vou consigo, mais uma vez, como sempre… mas hoje não quero conversa, tenho um assunto a por em dia comigo mesma… - Está bem… então vai conversar c [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


‘Amor às primeiras linhas’, por Ivani Medina

Conto por Ivani Media Ele a percebeu pela primeira vez num texto dela, a passear por entre as palavras como se num caprichoso jardim mourisco. Havia uma sinceridade grata e bela naquela mulher educada e cordial que poeticamente dizia-se distante das fantasias e aconchegada na matemática. A caminh [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Curiosidade sobre a morte, por Ivani Medina

Art by Vladimir Kush   Conto por Ivani Media Bené estava aposentado há poucos anos e vez por outra pensava na morte. Não por medo, o que é muito natural, mas por curiosidade. Permitia-se a ela para fugir ás lembranças da rotina do banco que o enfastiavam e lhe traziam a sensação de tem [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Muito macho!

  O Manuel, Nelo para a malta, quase no fim da casa dos trinta, impõe-se, onde quer que entre, ou saia, pela boa figura, cujo relevo abdominal começa a preocupá-lo secretamente, embora ele prefira acreditar que é status de fartura na mesa e um pé de meia no banco, símbolo dum ócio bem [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


A Vaca Sagrada

Vaca Sagrada Um jantar normal. Uma família normal, sentada numa mesa vulgar, numa cozinha comum. Ao todo são cinco pessoas: dois adultos, dois adolescentes quase adultos e uma criança de nove anos. Em frente a cada um está colocado um prato, onde bailam alguns quadradinhos de carne de vaca, aco [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Poesias dum Raio de Sol

Raio de Sol Despertei com a carícia suave dum raio de Sol, que veio pousar no meu rosto, luminoso e atrevido, acordando em mim a irritação própria de quem quer continuar a dormir. Virei-lhe as costas e roguei-lhe uma praga entre dentes. Aconcheguei-me nos cobertores e tentei sonhar com um dia c [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Intimidades com o 112

Serviço de Urgência - Vou morrer… estou a morrer… Chama o 112… - Não vale a pena, se estás quase morto é melhor chamar a agência funerária… (em tom azedo e cansado) (som de vómito… nada saiu, era só agonia) - Por favor, chama o 112… - Vou chamar… (contrafeita) - Obrig [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Voto de Slêncio

Voto de silêncio - Blá, blá, blá…. Blá, blá, blá… - … (fiz voto de silêncio cento e cinquenta metros após sairmos de casa, a caminho do hospital) - Olha aí, não sabes ver os sinais no chão? - … (ele até tem razão… raios, mas perdeu-a na forma) - É sempre a mesma merda, não [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Horizonte

Photo by Igor Lihovidov A simplicidade e naturalidade do amor é um horizonte, não há palavras suficientes para o encher. Filed under: ...em forma de Poema Tagged: Amor, Horizonte, Paixão, Poema [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


O Acordo Ortográfico e o Futuro da Língua Portuguesa

Acordo Ortográfico? Hoje recebi na minha caixa de correio este e-mail, que não posso deixar de publicar… Tem-se falado muito do Acordo Ortográfico e da necessidade da língua evoluir no sentido da simplificação, eliminando letras desnecessárias e acompanhando a forma como as pessoas re [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Os Animais Racionais e o Ranking

A Glória do Topo Tudo bem. Os seres humanos são animais, todos sabemos disso. No entanto, poucos destes seres vivos aceita tal evidência e simplesmente despreza o facto, despreza?…, nem sequer lhe passa pela razão tal certeza, tão atarefado anda a esconder-se da realidade dos factos, fin [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Ovos e Galinhas

Ovos e Galinhas Há mais de 3000 anos, no fértil e verdejante Baixo Egipto, um pequeno e curioso aprendiz de escriba ousou interromper o seu mestre, Ecribaptah, para perguntar: - Mestre, quem nasceu primeiro, foi o ovo ou a galinha? - Que pergunta estranha… dá que pensar. – E pensou ali mesmo [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Sem Eira nem Beira

Sem Eira nem Beira À beira da calçada Arrasta o cansaço Na sacola fechada Cheia de nada, Esconde tesouros De brilhos manchados Memórias desvanecidas Desbotadas, Lampejos desconexos De eiras fartas. Sem eira nem beira Procura um portado desabitado Na orla da pedra aconchegou-se Tirou os sapatos, [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Entardeço

Entardeço na brisa de orvalho Anoiteço na branca geada, Amanheço em gotas azuladas, Ensombradas Assombradas. Maravilhada. Filed under: ...em forma de Poema Tagged: Divagações, Nevoeiro, Pessoal, Poema, Renascer [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


De volta à Sagrada Família

As mulheres e o amor Vivemos num país lindo, livre, democrático, gerido por incompetentes e retrógrados, é certo, mas democrático, aqui as pessoas ainda podem opinar sobre o que muito bem entenderem, embora, eu sei, o demos, esteja cada vez mais longe do Kratía. Mas, mesmo assim, cada portugu [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Há Prisões e Prisões

Rua Augusta Subitamente começou a chover a cântaros e o padre Gregório, imerso nos seus pensamentos celestiais, sentiu na calva cabeça, os grossos pingos salpicados de frias pedrinhas de granizo, que caíam furiosamente do céu. Voltou o rosto para o alto, de cenho franzido e olhar severo, como [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


O Amor em Portugal

Homenagem ao dia dos Namorados Hoje li no jornal que mais de metade dos portugueses fazem sexo pelo menos duas vezes por semana, número (54%) que parece estar acima da média mundial (39%). Mulheres, mantenham esse – estão a ver o meu? – sorriso idiota nos rostos enquanto podem, pois [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Eu vende Livros entre os outros Pronomes

- Ora viva a todos, digo eu! - Eu também sou gente, porque só saúdas todos? - O quê? Agora és eu? - Nosso é que não é, soa-me muito democrático e quem sabe tudo aqui, sou eu! - Isso é que era bom, não faltava mais nada… - Ele manda? - Outrem manda… - Eu tenho livros para vender, fui [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado


Se os tubarões fossem homens – Bertold Brecht

Se os tubarões fossem homens, perguntou a filha de sua senhoria ao senhor K., seriam eles mais amáveis para com os peixinhos? Certamente, respondeu o Sr. K. Se os tubarões fossem homens, construiriam no mar grandes gaiolas para os peixes pequenos, com todo tipo de alimento, tanto animal quanto [...] * Publicado no Crónicas da Mulher dum Bêbado